LAVANDULA DENTATA P15

LAVANDULA DENTATA P15

Outras Especificações:

Nome Popular: Lavanda ou Alfazema.

 

Características: Herbácea aromática, muito variável, originária do Mediterrâneo.

Porte: A lavanda é um subarbusto de base lenhosa que alcança entre 20 a 60 cm de altura.

Ciclo de vida: Perene.

Flores: Suas flores são azuis ou arroxeadas, reúnem-se em inflorescências do tipo espiga e são bastante perfumadas. Ocorrem ainda variedades como a ‘Alba’ de flores brancas, a ‘Hidcote Pink’ de flores róseas ou a ‘Nana’ de pequeno porte. A floração inicia na primavera e se estende pelo verão, atraindo abelhas e borboletas.

 

Necessidades básicas:

Iluminação: Aprecia o Sol direto. Mas tem grande resistência ao frio. É aconselhável proteger o pé da planta no Inverno com turfa ou terra.

Rega: Devem ser escassas, pois não gosta de solos úmidos.

Substrato: Rústica, a lavanda não é exigente quanto à fertilidade do solo, mas este deve ser muito bem drenado, pode ser do tipo arenoso, mas que não seque demasiado. Aprecia o frio mediterrâneo ou subtropical. Tolera a seca, o frio e as geadas, sendo que algumas espécies e variedades toleram o calor tropical.

Adubação: A adubação da cultura de lavanda não deve ser abundante. Anualmente efetua-se uma adubação de cobertura com azoto na forma amoniacal no início da Primavera São adubações ricas em fósforo para estimular a floração.

 

Cuidados:

Poda: Pode-se realizar podas leves de formação e outra energicamente no fim da floração.

Método de propagação ou replante: De três modos, multiplica-se por divisão da planta, estaquia ou por sementes. As sementes de Alfazema semeiam-se de Maio a Julho ao ar livre e de Abril a Junho em estufa.

 

Dados Extras:

Indicações: Insônia, ansiedade, nervosismo, dor muscular, acne e inflamações na pele.

Propriedades: Analgésica, sedativa, anti-inflamatória, antisséptica, relaxante, calmante e desodorisante e como óleo essencial para perfumaria. Usado também como bálsamo e inseticida.

Partes usadas: Flores, folhas e caule.

Conservação: Para obter essência de alfazema, apanham-se os raminhos com as flores quando elas começam a florescer (que é precisamente quando emana um perfume mais forte), e pendura-se em pequenos raminhos a secar. As espigas com flor também podem ser secas em gavetas abertas.

 

Estas pequenas plantas revelam-se polivalentes, com usos paisagísticos, medicinais, aromáticos, industriais e até culinários. Podemos ainda utilizar as flores secas para embelezar e perfumar arranjos florais e em misturas pot pourri de ervas perfumadas.